★ O CoAstro na Via Láctea

No dia 4 de junho o CoAstro foi um dos projetos selecionados para ser apresentado no Workshop MW-Gaia: Bringing the Milky Way to schools 2021.

O principal objetivo deste encontro era o de aproximar as comunidades de investigação, ensino e divulgação científica, através da apresentação do trabalho que tem sido feito ao longo dos anos na exploração de nossa Via Láctea, mas também mostrando as tentativas de transformar esse conhecimento em ferramentas úteis e poderosas para o ensino, divulgação da astronomia e comunicação de ciência em geral.

★ O CoAstro reproduz-se

A reprodução do CoAstro originou “Pequenos Astrónomos“. Este novo projeto resultou da necessidade de continuar a satisfazer a curiosidade das crianças do Agrupamento de Escolas Dr. Carlos Pinto Ferreira, participantes na 1.ª edição do CoAstro.

O “Pequenos Astrónomos”, liderado pela professora CoAstriana Maria Julieta Ferreira, pretende facilitar o trabalho do professor que deseja explorar a astronomia, em contexto de sala de aula, e é apoiado pelos astrónomos do Planetário do Porto – Centro Ciência Viva.

Se, por si só, a iniciativa era meritória, maiores dimensões tomou quando foi considerada como um projeto da Escola Amiga da Criança. Esta iniciativa visa distinguir escolas que concebem e concretizam ideias extraordinárias, contribuindo para um desenvolvimento mais feliz da criança no espaço escolar e essencialmente partilhar essas boas práticas.

Parabéns aos CoAstrianos e novos Pequenos Astrónomos de Vila do Conde!

★ O CoAstro no “espaço” europeu

O CoAstro foi um dos poucos projetos que teve o privilégio de ser apresentado nas “Space Talks” promovidas pelo “Ecsite Space Group“.

Este grupo melhora e amplia a comunicação sobre ciência espacial, ajudando centros de ciência, profissionais do espaço e não especialistas a desenvolver projetos e eventos colaborativos.

A visão da Ecsite (European Network Science Centres & Museums) é a de fomentar a criatividade e o pensamento crítico na sociedade europeia, encorajando os cidadãos a envolverem-se com a ciência. A rede reúne mais de 350 organizações na Europa e em todo o mundo.

A apresentação do CoAstro pode ser vista AQUI. Dela se dá eco no relatório final do evento disponível AQUI.

★ O CoAstro entra na Universidade

Nos dias 20 e 24 de novembro o CoAstro foi convidado para participar em duas aulas: uma do Mestrado em Ensino e Divulgação das Ciências (na Faculdade de Ciências) e outra no Curso de Formação Comunicação de Ciência para Audiências Não Especializadas.(na Faculdade de Engenharia).

Estas aulas foram momentos importantes para partilhar e discutir, com alunos do Ensino Superior, as caraterísticas da ciência cidadã e, em concreto, as caraterísticas da ciência cidadã do CoAstro.

★ O CoAstro é notícia

Ao longo do tempo o CoAstro tem sido notícia em vários meios:

★ Um CoAstriano comentador

O Telescópio do ESO (Observatório Europeu do Sul) capturou a primeira imagem de sempre de um sistema planetário múltiplo em órbita de uma estrela do tipo do Sol.

Tal imagem originou um podcast, produzido pelos profissionais de divulgação do Planetário do Porto – Centro Ciência Viva e, simultâneamente, CoAstrianos. Por outro lado, possibilitou ao “nosso” João Faria continuar a sua carreira de comentador: pode atestar a clareza das suas explicações AQUI.

★ O CoAstro numa nova plataforma

Julho de 2020 trouxe a novidade de o CoAstro ter sido validado como um projeto de ciência cidadã pela SciStarter. Esta é uma das maiores plataformas mundiais dedicadas à ciência cidadã.

O CoAstro pode ser visto nessa plataforma AQUI. Contudo, para isso, teve de ser previamente ser avaliado, no sentido de verificar a sua relevância para a ciência cidadã.

★ Um CoAstriano à prova

No dia 20 de julho o nosso “Administrador do Condomínio” foi a provas com o CoAstro, numa tese intitulada “Ciência Cidadã: envolvimento do público na investigação e divulgação em astronomia“. As provas tiveram como arguentes principais o Professor Doutor João Manuel Fernandes e o Professor Doutor Pedro Russo. Do juri, presidido pelo Professor Doutor António Porto, fizeram ainda parte o Professor Doutor Paulo Simeão e a Professora Doutora Carla Morais (orientadora da tese).

Após quase três horas de profícua reflexão sobre o trabalho, obteve-se o grau de doutor em Ensino e Divulgação das Ciências.